Google+ Followers

Anúncio Google

terça-feira, 17 de julho de 2018

MARCELO CRIVELLA "O RESTRITO" - 12 IMORALIDADES E ILEGALIDADES QUE O PREFEITO DO RIO ESTÁ PROIBIDO DE COMETER

Veja as restrições impostas pelo TJRJ.

O magistrado aponta que o prefeito Marcelo Crivella "provavelmente ofendeu o princípio da legalidade" no evento que foi chamado de Café da Comunhão. O juiz diz ainda que a administração pública não pode atuar para prejudicar ou beneficiar "pessoas determinadas".


Para o juiz, há provável violação dos princípios da impessoalidade e da moralidade administrativa. 


> Utilizar máquina pública em defesa de interesse pessoal ou de grupo religioso.
> Determinar que servidores públicos privilegiem categorias no acesso ao serviço público 
(como filas de hospitais).
> Atuar em favor da Igreja Universal do Reino de Deus, IURD (da qual é bispo licenciado).
> Manter relação com entidades que se utilizam do poder político da Prefeitura.
> Realizar censo religioso.
> Estimular entidades religiosas com patrocínio, subsídio ou financiamento.
> Utilizar espaços públicos para doutrinação religiosa.
> Conceder privilégios em espaços públicos a pessoas de seu grupo religioso.
> Utilizar escolas ou hospitais para eventos da IURD.
> Realizar ação social ligada a entidades religiosas ou fé.
> Implantar agenda religiosa.
> Adotar atitude discriminatória com pessoas que não professam sua fé.

Convenhamos que, ter um PREFEITO que precisa de um "CABESTRO" imposto pela JUSTIÇA é uma VERGONHA !

quinta-feira, 12 de julho de 2018

MINISTÉRIO PÚBLICO ACIONA CRIVELLA POR CRIME DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA






O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 5ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania da Capital, ajuizou ação civil pública (ACP) por improbidade administrativa contra o prefeito Marcelo Crivella. De acordo com a ação, em reiterados atos, o gestor municipal feriu o princípio do estado laico. Expresso no artigo 19 da Constituição da República, o laicismo determina a separação entre estado e religião e garante a liberdade religiosa.



Reunião do prefeito com pastores e líderes de igrejas evangélicas no Palácio da Cidade, realizada no dia 4 de julho, foi o fato decisivo para o ajuizamento da ação. Em áudio gravado na ocasião, Crivella oferece apoio a fiéis das igrejas representadas no ato para realizar cirurgias de catarata pelo sistema público da saúde e para resolver ‘problemas’ com o IPTU.



“A controvérsia, por óbvio, não se cinge na religião professada pelo Prefeito Municipal, mas, sim, na interferência do poder público na vida privada das pessoas e na utilização da máquina pública para benefício de determinado seguimento religioso, e em eventual discriminação contra os outros diferentes seguimentos religiosos e culturais, o que não pode e nem deve ser admitido”, diz a ação distribuída para a 7ª Vara de Fazenda Pública.



Marcelo Crivella é investigado pelo MPRJ desde agosto de 2017. “O Parquet Fluminense vem recebendo, desde a posse do demandado como Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro, diversas notícias de irregularidades envolvendo a liberdade religiosa e a laicidade do Estado”, diz a petição inicial, que traz um rol de condutas do prefeito que dão suporte à ACP.



Além do encontro com pastores, a ação aponta o episódio que ficou conhecido com “censo religioso na Guarda Municipal”, no qual os servidores da guarda foram orientados a preencher um questionário que incluía perguntas sobre sua orientação religiosa. São investigadas ainda demissões de servidores comissionados de órgãos municipais para contratação de pessoas ligadas à Igreja Universal do Reino de Deus.



A ACP faz um pequeno histórico de outras políticas municipais que teriam violado a laicidade do estado: o censo religioso nas academias “Rio Ar Livre”; o Festival de Cinema Cristão na Cidade das Artes; o corte de patrocínio de eventos religiosos de matrizes afro-brasileiras; o controle de eventos com poder de veto diretamente pelo gabinete do prefeito; e a realização de eventos pela Igreja Universal do Reino de Deus em escolas públicas.



A ação destaca que o estado laico deve ser oficialmente neutro em relação a questões religiosas, não apoiando nem restringindo qualquer religião. “Deve ele garantir e proteger a liberdade religiosa de cada cidadão, independente de sua crença, evitando que alguma religião exerça controle ou interfira em questões políticas”, pontua a ACP.



Quanto às promessas do prefeito feitas na reunião com pastores, o MPRJ observa que privilegiar fiéis para realização de cirurgias ofertadas pela municipalidade, vai totalmente de encontro à política do SISREG (Sistema de Regulação) e às diretrizes do Sistema Único de Saúde, que prega igualdade e universalidade no atendimento à população. Para o MPRJ, o encontro também caracterizou propaganda eleitoral extemporânea.



“Ficou constatado no convite para a reunião no Palácio da Cidade que o evento contaria com a presença dos pré-candidatos do partido do Prefeito, Rubens Teixeira e Raphael Leandro. Mais que isso. A leitura da mensagem circulada na rede social na véspera do evento mostra a clara a intenção de realização de propaganda eleitoral extemporânea em favor dos pré-candidatos, já que incluía a promessa de que ambos seriam levados para visita nas igrejas integradas pelos convidados”, afirma a inicial.



Entre outros pedidos, o MPRJ requer que a Justiça determine, por meio de decisão liminar, que Marcelo Crivella cumpra 12 determinações sob pena de afastamento do cargo, entre elas, que deixe de utilizar a máquina pública municipal para a defesa de interesses pessoais ou de seu grupo religioso; se abstenha de determinar que servidores públicos municipais privilegiem determinada categoria para acesso ao serviço público de qualquer natureza; deixe de favorecer a Igreja Universal do Reino de Deus, se abstenha de manter qualquer relação de aliança ou dependência com entidade religiosa que vise à concessão de privilégio; e não adote qualquer atitude discriminatória contra entidades ou pessoas que não professam sua fé. Também é requerida sua condenação pela prática de improbidade administrativa determinando o ressarcimento integral do dano, a suspensão e de direitos políticos, o pagamento de multa civil e a proibição de contratar com o Poder Público.



Processo número nº 0162110-11.2018.8.19.0001

quarta-feira, 11 de julho de 2018

CRIVELLA DEMITE CESAR BENJAMIN - MESSINA ENQUADROU O PREFEITO

CONDIÇÃO DE MESSINA PARA TENTAR EVITAR QUE CRIVELLA NÃO SEJA DEGOLADO PELO IMPEACHMENT", FOI EXIGIR A "CABEÇA" DO DESAFETO E AGORA EX-SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO. 

O fato revela que o prefeito MARCELO CRIVELLA vai "SANGRAR" até o fim de seu MANDATO, tendo que se curvar as exigências de sua BASE FISIOLÓGICA DE APOIO", e sendo um MARIONETE nas mãos de MESSINA e do presidente da Câmara de Vereadores - Jorge Felippe.

LEIA

Crivella exonera secretário de Educação Cesar Benjamin.

Cesar Benjamin - CAIU

terça-feira, 10 de julho de 2018

PAULO MESSINA DIZ QUE FICA PARA SALVAR A CABEÇA DE MARCELO CRIVELLA

PAULO MESSINA RENUNCIA À RENÚNCIA QUE HAVIA APRESENTADO COMO CHEFE DA CASA CIVIL.

MAIS UM QUE VAI NÃO VAI, TRANSFORMANDO A PREFEITURA DO RIO EM UMA COISA QUE MAIS PARECE HOSPÍCIO OU PICADEIRO, COM LAVAÇÃO DE ROUPA SUJA E ATAQUES ENTRE SECRETÁRIOS.

Paulo Messina - Há 5 horas

Pessoal,

Nos últimos dias, foi noticiado amplamente pela imprensa minha decisão de deixar o cargo de Secretário-Chefe da Casa Civil.

É fato que na quarta-feira, dia 04 de Julho, agradeci muito a oportunidade ao Prefeito Marcelo Crivella e pedi minha exoneração. Através da Casa Civil, foi possível trabalhar pela minha cidade de uma forma que nunca sonhei ser possível.

O motivo de minha decisão em sair também já foi noticiado pela imprensa, mas registro aqui oficialmente. Depois do bizarro primeiro episódio, em maio deste ano, envolvendo um secretário do governo que usava redes sociais para proferir ataques contra o próprio governo, típico de seu comportamento errático ao longo de sua trajetória, e que, ainda mais bizarro, seguiu nomeado, os ataques continuaram de forma mais profunda e conspiratória. Em vez de se preocupar em produzir frutos para a Cidade, comporta-se como que preocupado em produzir frutos para si. Isso não é governar; apenas divide a equipe e provoca o caos.

Eis que surgem, nos últimos dias, movimentos na Câmara Municipal para fragilizar o Executivo, com denúncias e pedidos de impeachment. Neste momento em que se questionam as diretrizes que regem o governo, e frente a movimentos que buscam desestabilizar a prefeitura, minha iminente saída se tornou inoportuna, podendo até ser contextualizada agora, de forma maliciosa, como deslealdade e oportunismo, ou explorada politicamente contra o governo, dizendo que tornou-se fraco.

Justamente neste momento em que a Prefeitura ensaia sua recuperação fiscal, e dá os primeiros passos sólidos para afastar a crise, é estarrecedora a possibilidade de ser engolida numa crise política que só traria danos, muitos deles irreversíveis no curto prazo, para os cidadãos cariocas, bem como jogaria ralo abaixo todos os esforços dos últimos meses. Por conta disso, e com a concordância do Prefeito, continuarei à frente da Secretaria da Casa Civil.

segunda-feira, 9 de julho de 2018

PEDIDO O IMPEACHMENT DO PREFEITO MARCELO CRIVELLA

FORA CRIVELLA

TRÊS PEDIDOS NESSE SENTIDO JÁ FORAM PROTOCOLADOS. UMA SÉRIE DE PROVIDÊNCIAS PARA APURAR SE O PREFEITO COMETEU CRIME DE RESPONSABILIDADE. MARCELO CRIVELLA ESTÁ FRAGILIZADO E SUA "BASE' VAI VENDER CARO O APOIO PARA QUE ELE NÃO CAIA.

Foi protocolado na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro o primeiro pedido de impeachment contra o prefeito Marcelo Crivella (PRB) por "crime de responsabilidade". 

O pedido foi apresentado pelo vereador Átila Nunes (MDB), e como a CÂMARA está em recesso, caso ele não seja suspenso, o pedido será apreciado, aceito ou não, em agosto.

PSOL e SISEP também protocolaram outros dois pedidos.

A presidente municipal do Psol, Isabel Lessa, em conjunto com o deputado estadual Marcelo Freixo, apresentou um dos pedidos, e o outro foi do Sindicato dos Servidores Públicos do Rio de Janeiro (Sisep) que em AÇÃO NA JUSTIÇA, pediu o afastamento do prefeito Marcelo Crivella de suas funções públicas e convocação de novas eleições.

O PSDB deve apresentar um outro pedido de IMPEACHMENT do Prefeito.

PREFEITO FRAGILIZADO E MAL NA FOTO

Além de tudo isso, o MINISTÉRIO PÚBLICO já está analisando o ÁUDIO da reunião de Crivella com os pastores evangélicos. O conteúdo é altamente comprometedor. 

Quando nada, fragiliza Marcelo Crivella diante de sua BASE DE APOIO. Vão pedir coisas do ARCO DA VELHA ao prefeito para não lhe puxar o tapete.

BEM COMPARANDO, Crivella está na mesma situação que TEMER se encontra, desde aquela gravação com JOESLEY BATISTA.

sexta-feira, 6 de julho de 2018

CAFÉ DA COMUNHÃO INDIGESTO - MINISTÉRIO PÚBLICO VAI APURAR POSSÍVEL ATO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATITA

REUNIÃO SECRETA COM PASTORES, RECHEADO DE PROMESSAS DE AÇÕES QUE BENEFICIEM E PRIVILEGIEM INTEGRANTES DE IGREJAS LIGADAS AO PREFEITO MARCELO CRIVELLA, SERÁ OBJETO DE APURAÇÃO.


ÍNTEGRA DA NOTA DO MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL/RJ

O Centro de Apoio às Promotorias Eleitorais do MPRJ distribuiu notícia do fato para a Promotoria Eleitoral com atribuição para investigação e apuração. Eventual ação caberá ao Procurador Regional Eleitoral.

A reportagem também será enviada pela Coordenação de Saúde do MPRJ para a promotoria da área para fiscalização da política de regulação no Sus.

A coordenação das Promotorias de Justiça da Cidadania distribuiu para análise em inquérito civil por considerar a possibilidade de inobservância da laicidade do estado, conferindo tratamento privilegiado aos fiéis de um determinado segmento religioso, o que é vedado pela Constituição e pode, em tese, configurar improbidade administrativa.

O caso será regularmente investigado e as providências que se mostrarem adequadas ao final serão tomadas.

MPRJ
*****

VEJA AQUI O QUE ACONTECEU

POLÍTICA E RELIGIÃO MISTURADAS VERGONHOSAMENTE POR CRIVELLA - FALA COM A "MÁRCIA" OU FALA COM O "DR. MILTON"

A MATÉRIA DO JORNAL O GLOBO, E O ÁUDIO DA REUNIÃO DO PREFEITO MARCELO CRIVELLA COM 250 LÍDERES /PASTORES EVANGÉLICOS, NÃO DEIXAM DÚVIDAS.

O BISPO MARCELO CRIVELLA se confunde com o PREFEITO MARCELO CRIVELLA, e oferece, em REUNIÃO ÀS ESCONDIDAS, com proibição de USO DE CELULAR, em prédio PÚBLICO com dinheiro PÚBLICO, de PONTO DE ÔNIBUS NA PORTA DA IGREJA, passando por PRESSÃO sobre DIRETORES DE HOSPITAIS para favorecer FIÉIS das igrejas a serem operados de CATARATA ou VARIZES, em circunstâncias privilegiadas em relação aos demais cidadãos.

V E R G O N H O S O !

Se você tem um problema com IPTU, já sabe que para resolver vai DEMORAR, DEMORAR, DEMORAR..., mas, se for PASTOR DE IGREJA, fale como DR. MILTON, que tudo se resolve em passe de mágica.

Agora, se você quer OPERAR CATARATA e está na fila a um, dois, três anos, que fique cego, OU ENTÃO FALE COM UM DOS PASTORES LIGADOS AO CRIVELLA. O PASTOR FALA COM "DONA MÁRCIA", e ela que conhece todos os diretores de HOSPITAIS, consegue que em uma ou duas semanas a CIRURGIA seja realizada.

Eu tenho certeza que os EVANGÉLICOS de verdade, os CRISTÃOS de verdade, os CIDADÃOS de bem, são totalmente contrários a esse comportamento FEIO, CONDENÁVEL, PRECONCEITUOSO e ELEITOREIRO do senhor PREFEITO/BISPO.

Crivella oferece a pastores cirurgias e ajuda para problemas no IPTU de igrejas


por Bruno Abbud e Berenice Seara 'Deus nos deu a oportunidade de estar na Prefeitura para esses processos andarem', diz prefeito