Google+ Followers

Anúncio Google

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

PONTO FACULTATIVO ! VEREADOR QUER ACABAR COM ELE NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO !



O VEREADOR Leandro Lyra, do partido (Novo), quer acabar com a concessão de ponto facultativo a servidores municipais do Rio de Janeiro. 

Ele apresentou um projeto nesse sentido, com o argumento de igualar a atividade pública ao setor privado, manter os serviços da cidade em funcionamento normal sempre, e ajudar fazer frente ao problema financeiro da Cidade.

Qual a sua opinião sobre isso ?

VOTE aí ao lado na NOSSA ENQUETE / PESQUISA DE OPINIÃO, e deixe seu comentário na nossa caixa.

Sua opinião é muito importante.

11 comentários:

  1. Sou contra o ponto facultativo, pois trabalho recebendo e respondendo emails e, quando retorno destes feriados prolongados, na caixa de entrada tem vários emails para responder. Sou totalmente contra!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. O país vive uma crise não só econômica, mas moral. Achar que o famigerado ponto facultativo não tem que acabar, prova que o brasileiro, de uma forma geral, quer emprego, mas não quer trabalho. Depois reclamam quando funcionário público é achincalhados.

    ResponderExcluir
  3. Amigo Servo!
    Eu voto a favor, pela manutenção dos pontos facultativo; Agora deixo uma pergunta por que ele (vereadores) querem acabar com ponto facultativo. Se ele em corporativismo proprio so trabalham tres das na semana e tem mais de 60 dias de recesso. Digo a maioria dos politicos são umas bestas. Porque conto a seguinte historia. Nos hoje temos no territorio nacional mutas localidades que antes do advento da CONSTITUIÇÃO FEDERAL de 88. eram simplesmente distritos de muitos municipios. So que chegou um ponto que as oligarquias politicas dos referidos distritos ou povoados. Começaram a ficar sem espaços politicos para manifestar suas doenças, ambiçcôes ganancias e etc. Para ter e manter se no poder. Isso um bando de vagabundos, preguiços, acumuladores de riqueza e patrimonio por meio mais facil para evoluir e crescer. Então o que veio acontecer. Muitos desses ditritos sem uma minima condição de pratica de atividade economicas em sua area territorial paraa se auto sustentar como uma nova administração publica, politica-economica e social prorpia. Se tornaram neses ultimos quase trinta anos de vigor da nova CF-88 em novatos municipios. So que como falei boa parte dele não possui o minimo de recursos e atividades economicas em seu solo para bancar os gastos de se manter como um ente publico. Ficaram sempre refem do recursos vindos da esfera federal ou estadual. Como por exemplo, os recursos do FPM e FPE (Fundos de participação dos Municipios, em recebimento de imposto como exemplo ICMS (distribuidos pelos Estados) e Fundo de Participação dos Estados (Este distribuidos atraves de repasse vindo do GOVERNO FEDERAL que repassa aos Estados os impostos. Exemplo IPI royaties de petroleo e outros de competencia de recolhimento federal. E o ICMS de competencia de recolhimento dos Estados e que so mais adiante tem uma parte dele divididos com os municipios da federação estadual. Fiz essas ponderações iniciais. Porque tem municipios que não tem quase nenhuma fonte de receita propria gerada em seu territorio de competëncia. Mas possui praias, zonas de atividade reacreativas rurais. pontos turisticos e com data comemorativas neles. E e justamente nos periodos de alguns feriados e na possibilidade de ser extentido por pontos facultativos (nos caso dos feriados nacionais e estaduais) que essas regioes recentemente ou não emancipadas administrativas, politica e economicamente. Tem oportunidade de arrecadar em termo de ISS e outros tributos estaduais e federais. Devido a chegada de gente de fora para curtir os feriados e pontos facultativos disponibilizados. Promovendo um movimentação extra e reforçada do comercio e outras atividade de lazer e recreação. Promovendo assim um aporte, via recolhimento de tributos ali gerados com prestação de serviço e consumo. E essa arrecadação na ~e mais efetivas. Porque e comum os Prefeitos e as Cämaras municipais locais conceder por aprovação. de isençôes tributarias e renuncias fiscal. Para as atividades economicas que podem vir a ser explorada nessas datas de feriados e pontos facultativo. Onde todo mundo aproveita elas mesmo para relaxar e se entrenter viajando de sua area domiciliar para essas areas de potencial turisticos. E por tanto acabar com os pontos facultativos e querer reduzir o numero de feriado. E enfraquecer as outras localidade que não tem uma economia geradora de recursos proprios e independente dos repasses dos tributos estaduais e federais a quem elas tem direito. De acordo com a legislação tributaria em vigor. E que por interesse politico das oligaquias locais. Forçaram a barra para emencipar essas localidades, povoados ou vilas,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo Servo. Sei que vc deverã encontrar alguma dificuldade para decifra o que escrevi. mas o meu notebook. Esta com problema no teclado, E não permitindo. Eu digitar os acentos conforme manda a ortografia brasileira. Com se pode observar o unico acento que consigo digitar e o til. Dai muitas palavras acentuadas sem o TIL. São digitadas sem acentuação correta.
      obrigado pela compreensão.

      Excluir
  4. O vereador sugere isso porque não trabalha mesmo. Para ele não faz diferença.

    ResponderExcluir
  5. Para a prefeitura dar ponto é ótimo.

    Ela economiza na luz, telefone, água, consumidos nas repartições.

    Para a população é péssimo.

    Excepcionalmente em alguns dias pode ser concedido.

    Habib Nasser

    ResponderExcluir
  6. Trabalho em escola. Quando acontece da prefeitura NÃO dar o ponto facultativo (as vezes ocorre)_ a freqüência é extremamente baixa. Chega a ter turma sen o mínimo de alunos permitido por lei. A escola fica exposta. Gastos de energia. comida feita para "meia dúzia de gatos pingados". Os alunos que vão, fixam na escola. O funcionário também. Batemos papo, arrumamos armários (ar condicionado quando tem ligados) e planejamos. Mas a aula, que é o propósito da escola aberta, não há. A média não ultrapassa a 20% dos alunos. Uma turma com cerca de 35 alunos vem, no máximo,7. No Rio da violência gerada pelo significativo aumento da desigualdade, expôr uma unidade ao roubo do seu patrimônio e a do seu servidor por achar que o ponto facultativo gera a " malandragem " é, no mínimo, insano. O problema não está nos pontos facultativos. O problema está no excesso de feriados, no excesso da hipocrisia, excesso da valorização material que despreza o pensar, o refletir, o aprender das relações. O problema está na cultura brasileira que não valoriza o trabalho como um todo, no seu sentido útil. Mas engrandece a carreira, o cargo, o status que, de nada valem sem a verdadeira ascensão humana: servir.

    ResponderExcluir
  7. Manda esse palhaço se informar se não tiver o ponto tudo fica as moscas e o órgão tem custo e um mal informado querendo aparecer.

    ResponderExcluir
  8. Se não tiver o ponto tudo fica as moscas e o órgão tem custo pra funcionar não se trata de não querer trabalhar e sim de planejamento esse vereador deveria se o formar melhor .

    ResponderExcluir
  9. Se não tiver o ponto tudo fica as moscas e isso tem um custo não vale a pena funcionar não se trata de querer ou não trabalhar mas sim de planejamento esse vereador deveria se informar melhor.

    ResponderExcluir
  10. O ponto facultativo tem que acabar mesmo. Esse bando do funcionários que já entra no serviço pensando não em servir o publico mas sim em servir a si próprio.

    ResponderExcluir

Você é bem vindo e seu comentário e opinião muito importantes. Você é responsável pelo que escreve. Nos reservamos o direito de, detectado conteúdo ofensivo, injurioso, promotor de ódio ou propaganda irregular de produtos e serviços, deletar tais comentários. Agradecemos sua presença, volte sempre.