Google+ Followers

Anúncio Google

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

PREFEITO EDUARDO PAES ACUSADO EM DELAÇÃO DA ODEBRECHT

ESSE TREM PODE LEVAR DIRETO PARA O PARANÁ - ESTAÇÃO CARCERAGEM DA POLÍCIA FEDERAL.
Odebrecht teria abastecido caixa 2 de Eduardo Paes com R$ 30 milhões, afirma delator.
Jornal do Brasil

A matéria é do Jornal do Brasil com base em reportagem da Revista Veja.

O PREFEITO DO RIO - Eduardo Paes / PMDB - teria recebido inclusive dinheiro ilícito depositado em CONTA NO EXTERIOR, através de uma operação criminosa que envolveria uma agência de publicidade. O Deputado Federal Pedro Paulo, que foi o candidato de Paes derrotado para a prefeitura do Rio, é citado como intermediador e arrecadador do dinheiro fruto de propina e caixa dois.
*********************************************************************************
O diretor de Infraestrutura da Odebrecht no Rio, Leandro Andrade Azevedo, afirmou em delação que a empreiteira teria desembolsado R$ 11,6 milhões e US$ 5,7 milhões para o caixa dois da campanha à reeleição do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), em 2012. 

Em um anexo apresentado aos investigadores por Azevedo, ele detalha como funcionou o repasse para o “Nervosinho”, como Paes é conhecido pelos executivos da empresa. As informações são da coluna Radar Online, da Veja.

Segundo as informações da delação apresentadas pela coluna, parte do dinheiro foi entregue em espécie no endereço da agência Prole, no Rio, e o restante, em contas no exterior indicadas pela mesma empresa de publicidade, que prestava serviços à campanha. O dinheiro seria enviado para uma conta nas Bahamas e outra na Suíça.

Os valores repassados para Paes seriam definidos entre o próprio prefeito e outro diretor da Odebrecht, Bendicto Junior. Após o acerto, Azevedo negociava como e quando os repasses seriam realizados com o deputado federal Pedro Paulo (PMDB), candidato derrotado à prefeitura carioca.

Pedro Paulo teria estabelecido que o dinheiro deveria sair da Odebrecht direto para as mãos de Renato Pereira, dono da Prole, a agência de publicidade responsável pelas campanhas do PMDB no Rio. Segundo a coluna, pelo menos uma dessas reuniões teria ocorrido no endereço oficial da prefeitura, em Botafogo, Zona Sul do Rio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você é bem vindo e seu comentário e opinião muito importantes. Você é responsável pelo que escreve. Nos reservamos o direito de, detectado conteúdo ofensivo, injurioso, promotor de ódio ou propaganda irregular de produtos e serviços, deletar tais comentários. Agradecemos sua presença, volte sempre.